Dados de 11 milhões de desbancarizados são inseridos ao cadastro positivo

Na terça-feira (3) a Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) informou ter recebido cerca de 100 milhões de registros de pessoas físicas e jurídicas no banco de dados do Cadastro Positivo enviados pelas principais operadoras de telecomunicações do país. A entidade estima que, desse total, mais de 11 milhões de consumidores e empresas são desbancarizados, estando, portanto, ausentes dos dados enviados anteriormente pelas instituições financeiras, responsáveis pela primeira onda de compartilhamento de informações com os birôs de crédito.

Os dados foram encaminhados pelas empresas Algar, Claro, Oi, Sercomtel, Sky, Tim e Vivo e são referentes às assinaturas de serviços pós-pagos de telefonia celular e fixa, banda larga e TV por assinatura.

De acordo com nota publicada no portal da ANBC, a iniciativa permitiu que cerca de 10,3 milhões de pessoas físicas e mais de 763 mil pessoas jurídicas passassem a ter visibilidade no mercado de crédito devido ao Cadastro Positivo. Com isso, o compartilhamento do histórico de pagamentos dos clientes das operadoras de telecomunicações com os birôs de crédito gestores do banco de dados do Cadastro Positivo (Boa Vista, Quod, Serasa, SPC e TransUnion), iniciado em abril do ano passado, está concluído.

A reportagem cita que na visão de Elias Sfeir, presidente da ANBC, a inserção das informações do setor de telecomunicações confirma os benefícios previstos na implementação do Cadastro Positivo em julho de 2019, principalmente em relação à inclusão financeira.

“O Cadastro Positivo é uma ação socioeconômica positiva onde a visibilidade dos consumidores e empresas no mercado de crédito proporciona dois principais benefícios: melhor avaliação de crédito, reduzindo inadimplência e superendividamento, e inclusão financeira dos desbancarizados, por meio da possibilidade de acesso a recursos financeiros. Parabenizo o Ministério das Comunicações, Anatel, Conexis e o setor de Telecomunicações que atenderam prontamente ao nosso chamado de parceria e demonstraram seu compromisso com a evolução socioeconômica do Brasil por meio da inclusão de 11 milhões de desbancarizados”, pontua Elias Sfeir.

Deixe um comentário